Perguntas e respostas

  • Sei que o stress pode até matar. Que outras conseqüências não letais ele pode causar?

    O stress pode causar um infinito número de doenças porque ele afeta o sistema de imunidade. Um dos problemas mais comuns é o da gripe. Estudos científicos têm consistentemente demonstrado que as pessoas quando estressadas tendem a pegar gripes e infecções respiratórias com muito mais freqüência. Outra reação ao stress são as erupções de pele causadas por vírus como verrugas ou herpes. Outros problemas como acnes e aftas são exacerbados pelo stress. A pele é rapidamente afetada pelo sistema de imunidade pela sua conexão com o sistema nervoso e por ser altamente sensível às nossas emoções. A infertilidade é um problema mais incomum. Pesquisas têm evidenciado que um alto nível de stress contribui para essa condição causando espasmos no tubo do falo, ovulação irregular, mudanças hormonais e redução na produção de esperma. Nesses casos, o tratamento mais indicado combina cuidados médicos com técnicas de relaxamento, para que o indivíduo aprenda a liberar o excesso de stress, canalizando-o de forma a não prejudicar o seu sistema de imunidade.


  • Sempre estou muito apressado e não me dou tempo para apreciar aquilo que tenho. Como posso mudar?

    Para melhorar sua qualidade de vida você quer desenvolver uma auto-imagem positiva, usar humor para lidar com situações estressantes, definir objetivos de vida específicos e claros e sentir que tem controle sobre sua vida. Talvez você não tenha controle sobre o que lhe causa stress mas poderá controlar a maneira como reage a esse estímulo. Concentre sua energia nos seus processos internos, restabelecendo o equilíbrio entre a mente e o corpo. O uso de várias técnicas como meditação, yoga, biofeedback, visualização ativam o processo de relaxamento propiciando um estado de harmonia interna.


  • Sempre fui muito criativo, mas acho que as preocupações estão me prejudicando. O que posso fazer?

    A criatividade ativa a imaginação, desperta a atenção, aumenta a satisfação e entusiasmo e proporciona um meio de auto-expressão. Toda pessoa nasce criativa. Embora as preocupações do dia-a-dia possam torná-la dormente, não conseguem eliminá-la. A criatividade é a sua maneira de ver o mundo, interpretar singularmente o que vê e não temer o que os outros pensam de você. Provavelmente o elemento mais importante da criatividade é a motivação. Faça algo pelo simples prazer de fazer. Isso fará com que se distancie emocionalmente de atitudes negativas às quais se condicionou no decorrer dos anos.


  • Sinto-me culpada de muitas coisas que fiz. Queria entender melhor como a culpa me afeta.

    A culpa pode ter conseqüências desastrosas. Quem sente culpa não vive o momento presente. E como a culpa está relacionada a algo do passado - sem condições de mudar a situação e incapaz de aprender com isso, ela deixa a pessoa numa posição vulnerável. Quem tem culpa, tem dificuldade de sentir prazer. E isso se reflete na sua vida e nos seus relacionamentos. A pessoa fica mais introspectiva, triste. Ela é um componente importante da depressão. Na empresa, o sentimento de culpa causa isolamento, afetando a qualidade e a produtividade. Quem não consegue se desvencilhar deste sentimento prejudica seu dia-a-dia e se torna disfuncional. Avalie o que pode aprender dos erros que cometeu para que não ocorram novamente e vire a página. Se achar necessário, procure ajuda profissional.


  • Sinto-me indecisa com relação ao futuro do meu casamento. Freqüentemente penso em me separar, mas me acovardo com medo de problemas financeiros e da solidão. Como ser mais objetiva?

    Em primeiro lugar, essa indecisão é previsível. As pessoas geralmente têm dúvidas a respeito de permanecer ou não em um relacionamento, pois há chances de que a decisão não seja a ideal a longo prazo. Aceite que nesse momento não está pronta para decidir e que é importante dispor do tempo necessário para avaliar bem todas as possibilidades. Enquanto analisa a situação, planeje a sua vida para se tornar financeiramente independente. Procure um trabalho ou especialização em algo que lhe estimule. Também necessitará de apoio emocional para lidar com seu novo status. Forme um círculo de amigos em que haja ajuda mútua. Independente da sua decisão de permanecer casada, é importante que possa ter e dar respaldo emocional a outras pessoas. Isso fará com que se sinta mais forte e útil. Igualmente importante é que você clarifique os seus valores e expectativas a respeito do seu parceiro e do casamento. Estabeleça um limite para sua tolerância. Às vezes as pessoas pensam: “Ficarei nessa situação até os filhos crescerem”, mas nesse processo perdem o auto-respeito e o casamento se torna irremediavelmente prejudicado. Lembre-se que quanto mais competente você se torna para enfrentar a vida sozinha, mais sólida será uma união, pois continuará nela por opção e não por necessidade.


Faça uma busca por palavras-chave

Copyright © ISMA-BR 2001
Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução total ou parcial.
ISMA-BR - International Stress Management Association no Brasil
CNPJ: 03.915.909/0001-68
Rua Padre Chagas, 185 conj. 1104
Moinhos de Vento
90570-080 Porto Alegre, RS
+55 51 3222-2441
stress@ismabrasil.com.br